top of page

Resultados de busca

22 itens encontrados para ""

  • Sabia que você pode perder sua casa se receber uma multa?

    As multas aplicáveis a imóveis podem ser resultado de diversas situações, incluindo infrações urbanísticas, ambientais, fiscais, ou relacionadas à segurança e saúde pública. Essas multas têm o objetivo de garantir o cumprimento das leis e regulamentos vigentes, além de incentivar a manutenção da ordem e da qualidade de vida nas comunidades. Proprietários de imóveis sempre precisam estar cientes das leis e regulamentos que regem suas propriedades, e manter seus imóveis em conformidade com as exigências legais, a fim de evitar multas e possíveis consequências legais e financeiras, isso pois, a Prefeitura e a Receita Federal podem multar qualquer imóvel, já finalizado, ou não, a qualquer momento. E o principal motivo são as irregularidades. Esse é um grande problema, afinal, muitas pessoas nem sabem o que pode tornar seus imóveis irregulares! Construções sem documentação, alterações em área permeável, posição de janelas e até reformas ou ampliações sem autorização... Basta um desses e seu imóvel já está irregular! As multas aplicadas a imóveis geralmente são proporcionais à gravidade da infração e ao potencial impacto negativo causado à comunidade ou ao meio ambiente. Elas podem variar em termos de valores e formas de pagamento, podendo ser cobradas por meio de boletos bancários, notificações de débito, ou até mesmo por meio de processos judiciais em casos mais graves. Tais multas também podem ser avaliadas por metro construído, ou seja, quanto maior a irregularidade, maior o valor da multa. Ou por dia, nesse caso, o proprietário precisa resolver o problema o mais rápido possível. Porque a multa irá aumentar seu valor diariamente!! Se o problema não for resolvido, ou demorar muito, o valor das multas pode se tornar impossível ou inviável de pagar... Existem casos reais de multas que superam o valor de 100 mil reais! A pior parte, nem Receita Federal, nem Prefeitura perdoam esse tipo de dívida. Caso não sejam quitadas, o imóvel em questão será tomado do proprietário e levado para leilão. Pra que correr esse risco? Podemos resolver qualquer problema com seu imóvel, evitando que as multas sejam aplicadas e resolvendo todos os problemas! Clique no link abaixo para enviar uma mensagem.

  • Não construa antes de ler esse texto

    O sonho de construir sua própria casa é uma aspiração profundamente pessoal e emocional para muitas pessoas, representando não apenas a realização de um objetivo prático, mas, também a concretização de um desejo de estabelecer um espaço único e significativo para si e para seus entes queridos. Construir oferece a oportunidade de criar um ambiente que reflita a personalidade, estilo de vida e necessidades específicas de quem a está construindo, cada decisão é uma expressão de individualidade e visão. No entanto, o sonho de construir sua própria casa também pode vir acompanhado de desafios e preocupações, como o planejamento financeiro, a obtenção de licenças e autorizações, a contratação de profissionais qualificados, e a gestão do cronograma e dos custos da obra. É um empreendimento que requer planejamento cuidadoso, paciência e dedicação para garantir que tudo seja realizado da melhor forma possível. Assim, as pessoas interessadas em construir acabam cometem um erro bastante frequentemente, não seguir as leis do Município antes de começarem. Esse erro pode trazer muita dor de cabeça no futuro, visto que pode gerar uma notificação ou até mesmo uma multa. Para evitar qualquer problema, preste atenção aos itens abaixo. Antes de iniciar qualquer etapa da sua obra, você precisará ter seu Projeto Aprovado na Prefeitura. Essa exigência foi criada para garantir o cumprimento do Código de Obras, que todos os imóveis da cidade precisam seguir. O próximo passo é conseguir a liberação de início da Prefeitura, com a emissão do Alvará de Construção. Esse documento autoriza os trabalhos necessários, por um tempo limitado. Atenção: Sem esse documento sua construção pode ser embargada e multada! Sempre respeite os limites do terreno Os dois piores problemas que podem surgir em seu imóvel são invadir e construir em parte do terreno de vizinhos ou no espaço público, como a calçada. Ambas as situações serão muito complicadas de se resolver. Siga exatamente o projeto aprovado e os limites do terreno. Finalize a construção. Quando todas as etapas estiverem finalizadas, informe a Prefeitura, que emitirá o Habite-se, documento que autoriza a Habitação do imóvel. Esse documento somente é emitido caso não existam nenhum dos problemas anteriores. Apesar dos desafios, o processo de construir sua própria casa é recompensador e gratificante, proporcionando uma sensação de conquista e orgulho ao ver o projeto dos seus sonhos se tornar realidade. É uma jornada que envolve trabalho árduo, criatividade e comprometimento, mas, que pode resultar em um lar verdadeiramente único e especial, onde memórias serão criadas e compartilhadas por muitos anos vindouros. Seguindo todas essas etapas mencionadas no texto, você não terá nenhum problema com sua construção. Se precisar de ajuda em qualquer etapa ou tiver dúvidas, clique no link abaixo para conversarmos.

  • O que é Regularização de Imóvel? Será que meu imóvel precisa?

    O primeiro passo para a construção de um imóvel é a concepção do projeto e por consequência sua aprovação na prefeitura. Depois dessa etapa, é necessário solicitar o alvará de construção e ao final, o Habite-se. Seguindo esses três passos, teremos uma Edificação Regular. Entretanto, a maioria dos imóveis no Brasil não segue pelo menos um desses passos e, por mais simples ou inocente que pareça ser, haverá consequências terríveis no futuro, isso pois, sua construção está irregular. Construções irregulares frequentemente apresentam um grande prejuízo financeiro e muita dor de cabeça para seus proprietários. Isso pois, estas não possuem autorização do município para existir ou não seguem suas legislações. Sendo assim, serão alvo da Prefeitura e dos órgãos de fiscalização, que ao identificar o problema irão aplicar multas e embargos ao imóvel, mesmo depois da construção ter sido finalizada, não existe prazo de validade para a multa. Afinal, por que a prefeitura faz isso? Quando uma construção é iniciada, ela precisa seguir o Código de Obras municipal, por isso que um novo projeto precisa ser aprovado pela prefeitura, que irá fiscalizar primeiro. Os casos em que a prefeitura irá rejeitar seu projeto são: Construções muito altas, existe uma altura máxima para casas e sobrados. Ocupação do lote: Uma construção não pode ser feita em toda a extensão do lote, é necessário deixar uma parte livre Recuos: Uma construção não pode ser feita próxima do portão de entra e nem dos muros de divisa (existem exceções) Área permeável: espaço destinado para absorção de água. E outros problemas gerais. Minha casa já foi construída e nunca teve projeto ou aprovação Esse é o caso mais comum. Nessa situação, a solução é simples, será necessário entrar com o processo de regularização do imóvel. De forma simples, o objetivo desse processo adequar e tornar legal imóveis e construções irregulares, sem documentações ou multadas. Esse procedimento deve ser feito por um profissional da área da construção civil, como um Engenheiro Civil, por exemplo. Esse profissional fará o levantamento de tudo o que esta incorreto e apresentará para a prefeitura, que então, após o pagamento das taxas de regularização, tornará regular. Esse procedimento pode ser bem simples e rápido, dependendo da quantidade de irregularidades. O procedimento não é de graça. A prefeitura cobra uma taxa para tornar regular. Essa valor por mais que assuste os proprietários, pode ser parcelado em muitas vezes, de forma que fique acessível para todos. Em todo caso, pagar o valor da regularização é muito menor do que pagar a multa da prefeitura caso ela identifique a irregularidade primeiro. Não existe limite para quanto a multa pode chegar, existem casos que variam entre 1.000 até R$ 100 mil. A regularização do imóvel e do terreno não é somente evitar a multa, também trás outros benefícios e evita malefícios. Por exemplo, uma construção que não segue exatamente o projeto aprovado pela prefeitura não será cobrado valores de IPTU corretos. Ou seja, o proprietário pode estar perdendo dinheiro todos os anos, pagando um valor mais caro que o normal, sem a menor necessidade. Prefiro arriscar receber a multa do que regularizar, o que pode me acontecer? Como já dito anteriormente, não existe prazo de validade para a multa, essa pode acontecer mesmo depois de anos da casa ter sido finalizada. Mesmo que por sorte, a prefeitura nunca identifique as irregularidades, se o proprietário decidir vender, o imóvel não é aceito em financiamentos, caso queria vender a vista, o valor de venda pode ser reduzido em até 40% por não ser regular, e, em último caso, no hora de fazer o testamentos ou inventários, ainda poderá ser multada. A fiscalização da prefeitura tem aumentado significativamente nos últimos meses, agora, com a adição de drones de inspeção, é possível identificar e medir toda a área construída de todos os terrenos da cidade. Multas de irregularidade são cada vez mais frequentes e mais difíceis de se evitar. Pra que correr esse risco? Podemos resolver qualquer problema com seu imóvel, desde multas até embargos! Clique no link abaixo para enviar uma mensagem.

  • Quero vender minha casa, como saber se existe alguma irregularidade?

    Muitos não sabem, mas, existem diversos problemas que vão causar dor de cabeça para você no momento de venda de seu imóvel. Alguns problemas tornam financiamentos impossíveis, outros diminuem o valor de mercado do seu imóvel. O motivo é que esses imóveis precisam estar 100% regulares para poderem ser vendidos e atualmente, milhões de imóveis no Brasil não são. A primeira coisa a se verificar é a documentação. Todas as construções necessitam da Matrícula do Imóvel. Essa é o documento que comprova a posse do Imóvel e do Terreno. Outros dos documentos necessários são o Habite-se e a Aprovação dos projetos. A próxima etapa é verificar se foi realizada alguma alteração no Imóvel após sua conclusão, qualquer reforma, demolição ou ampliação precisa ser registrada na Matrícula do Imóvel. Sem esse procedimento, a situação da construção será considerada irregular. Um imóvel regularizado oferece segurança jurídica, garantindo que todas as questões legais estejam em conformidade com a legislação vigente. Isso significa que a propriedade possui todos os documentos necessários, como escritura, registro no Cartório de Registro de Imóveis e alvarás de construção, Em último caso, verificar a existência de multas aplicadas no Imóvel. A prefeitura fiscaliza periodicamente todas as construções da cidade, portanto, caso existam irregularidades, são aplicadas multas ou embargos. Todas as edificação estão sujeitas a esse risco, até mesmo aquelas que já estão finalizadas. As multas precisarão ser pagas e o problema que originou a multa precisará ser resolvido. A ausência de problemas também trás um maior valor de mercado ao imóvel, sendo mais atrativo para potenciais compradores e facilitando processos como financiamento bancário e transferência de propriedade. Portanto, a regularização não apenas garante a tranquilidade e segurança do proprietário, mas, também valoriza o imóvel e facilita sua negociação no mercado imobiliário. Caso você encontre problemas dentre um dos itens citados acima, será necessário contatar um Engenheiro Civil para que este providencie os procedimentos exigidos para solucionar as pendências e, nós da Vimieiro Engenharia podemos te ajudar com cada uma das situações, fornecendo sempre o serviço de maior qualidade e profissionalismo. Caso possua alguma dúvida ou deseja uma estimativa de custos, sem compromissos, clique no link abaixo.

  • Contratei apenas os pedreiros e terminei de construir minha casa, o que devo fazer em seguida?

    Esse é o caso mais comum que existe, a maioria das construções do Brasil são feitas assim e, o motivo, é sempre financeiro, visto que, nesse caso, é necessário contratar apenas um profissional. Entretanto, essa prática é ilegal. As regulamentações municipais não permitem que novas edificações sejam construídas sem a participação de profissionais especialistas da Construção Civil, como Engenheiros e Arquitetos. Essa medida não é somente burocrática ou punitiva, uma vez que pode resultar em multas, mas, possui a função de garantir que todas as edificações feitas na cidade estejam de acordo com o Código de Obras Municipal, visto que os engenheiros civis têm o conhecimento técnico necessário para garantir que o projeto e a construção da residência respeite as regras de bairros comerciais e residenciais. Essa medida ainda aumenta a segurança e a qualidade das edificações, pois, torna obrigatória a participação dos profissionais da construção civil, que terão responsabilidade sobre seus projetos. Sem a supervisão de um engenheiro durante o processo de construção, há um risco aumentado de falhas estruturais, como desabamentos, rachaduras nas paredes e colapsos parciais ou totais da edificação. Um engenheiro civil é responsável por garantir que a estrutura da residência seja projetada de forma segura e resistente às cargas e condições ambientais a que estará exposta ao longo do tempo. Outro fator fundamental é a eficiência no uso de materiais, recursos, custos, e sustentabilidade. Sem a experiência de um engenheiro, há um risco maior de desperdícios durante a construção, o que pode resultar em custos mais altos e impactos ambientais negativos. Construções realizadas sem a devida supervisão técnica tendem a apresentar uma qualidade inferior e uma vida útil mais curta. Isso pode levar a uma desvalorização do imóvel no mercado imobiliário, pois os compradores estão cada vez mais atentos à qualidade e segurança das construções. Assim sendo, ao construir somente com o pedreiro, sua edificação não possui os projetos necessários e a autorização da prefeitura para existir, ou seja, é uma edificação clandestina. Nesse caso, é necessário contratar um Engenheiro Civil para que este faça a Regularização do seu Imóvel, que constituirá em criar os projetos não existentes para serem protocolados junto a Prefeitura e o Cartório de Imóveis, e providenciar as devidas autorizações, como Aprovação de Projeto e Habite-se. Esse procedimento não pode ser feito por outro tipo de profissional ou pelo proprietário do imóvel, uma vez que a Prefeitura exige a autorização do Conselho Regional de Engenharia para ser aprovado. Em resumo, construir uma residência sem a contratação de um engenheiro civil representa um grande risco, tanto em termos de segurança estrutural quanto de conformidade com normas e regulamentos. A contratação de um profissional qualificado é fundamental para garantir a qualidade, segurança e legalidade da construção, além de minimizar custos e evitar problemas futuros. Nós da Vimieiro Engenharia podemos te ajudar a conseguir qualquer documentação, fornecendo sempre o serviço de maior qualidade. Caso possua alguma dúvida ou deseja uma estimativa de custos, sem compromissos, clique no link abaixo.

  • Quero construir minha casa, como começar?

    O sonho da casa própria é um processo complexo e cheio de etapas, que facilmente podem se tornar um pesadelo financeiro se for feito da maneira errada. Felizmente, se acompanhado por um profissional responsável, as dores de cabeça se reduzem a praticamente zero. Abaixo você encontrará todas as etapas necessárias para construir sua edificação, na ordem correta e descrevendo todos os profissionais que trabalharão em conjunto. Após todos os passos burocráticos de aquisição do terreno e definição do orçamento a disposição para a construção, o primeiro passo será o Projeto Arquitetônico. n.º 1 - Projeto Arquitetônico Esse sempre será o primeiro passo, pois nessa etapa é definido todos os detalhes criativos da construção e, basicamente não existem limitações. Assim, fale com um Arquiteto e explique todos os seus desejos e planos de como sua residência deverá ser, definindo a quantidade de cômodos e ambientes, garagens, pontos de entradas, janelas e portas, entre outros. Esse projeto servirá de base para todos os outros. n.º 2 - Projeto estrutural Finalizado o primeiro projeto, entre em contato com um Engenheiro Civil para a elaboração do Projeto Estrutural. Com ele você terá informações para a execução, tais como a quantidade de aço, volume de concreto, formas de madeira... n.º 3 - Projeto de Fundação Enquanto o projeto anterior estiver sendo desenvolvido, você precisará do projeto de fundação. Para isso, deverá solicitar o laudo de sondagem de seu terreno. Essa etapa precisa ser feito simultaneamente com o Projeto Estrutural, pois, não é possível definir a estrutura acima do solo antes de finalizar a estrutura abaixo do solo, porém, não há como desenvolver a estrutura de fundação sem a estrutura superior. Por isso devem ser feitos simultaneamente. Esse processo é muito importante e frequentemente muitos proprietários e construtores se recusam a fazer, mas, para um projeto econômico, seguro e de qualidade, precisa ser feito. Muitos problemas podem acontecer em caso contrário, veja aqui. n.º 4 - Projetos Hidrossanitário e Elétrico Seguinte, é necessário os dois últimos projetos complementares básicos, Hidrossanitário e Elétrico, são feitos por um Engenheiro Civil Hidrossanitarista e um Engenheiro Eletricista. Esses necessitam ser desenvolvidos por último, afinal, necessitam de todas as informações dos outros projetos para serem desenvolvidos e podem ser feitos simultaneamente para economizar tempo. n.º 5 - Documentação Por fim, as últimas etapas se referem a documentação da obra, estes podem ser solicitados pelos profissionais já contratados anteriormente. Primeiramente é necessário conseguir a autorização do início das obras e, finalizada a construção, deve-se solicitar o documento para permitir o uso e a habitação do novo imóvel. Todas essas documentações podem ser solicitados por qualquer um dos profissionais contratados anteriormente e são obrigatórios, sendo passíveis de multas e uma série de problemas. Conclusão Seguindo essas etapas você terá tudo o que precisa para iniciar sua construção sem nenhum tipo de problema no futuro. Nós da Vimieiro Engenharia podemos te ajudar em qualquer uma das etapas e fornecer sempre o serviço de maior qualidade. Caso possua alguma dúvida ou deseja um orçamento sem compromissos, clique no link abaixo.

  • O que é Averbação de Imóvel?

    A averbação de um imóvel é um procedimento essencial no contexto do direito imobiliário, É o responsável por informar e atualizar, junto ao Cartório de Registro de Imóveis, todas as mudanças feitas em uma construção. Essas alterações são obrigatórias, devendo ser adicionadas na Matrícula do Imóvel sempre que houver alterações na propriedade que afetem sua descrição ou sua situação jurídica, e caso não estejam, irão transformá-lo em irregular. Incluem nas alterações que requerem a averbação, mudanças como construções, reformas, demolições, novos loteamentos, desmembramentos, fusões, entre outros. Além das alterações por parte do terreno e construção, mudanças significativas com seus proprietários também precisam averbadas, como alteração de estado civil, de nome, ou o estado de financiamento e quitação do imóvel. Estas devem ser atualizadas e informadas na matrícula imobiliária o mais breve possível. O objetivo da averbação é garantir que o registro do imóvel reflita com precisão sua situação atual, proporcionando segurança jurídica tanto para o proprietário quanto para terceiros interessados. Averbar um imóvel significa tornar pública a modificação realizada, registrando-a na matrícula do imóvel. Dessa forma, qualquer pessoa que consulte os registros terá conhecimento das alterações feitas. A falta de averbação pode acarretar em problemas futuros, como dificuldades na venda do imóvel, disputas judiciais, ou até mesmo a perda de direitos sobre a propriedade. Portanto, é fundamental garantir que todas as alterações no imóvel sejam devidamente averbadas junto ao Cartório de Registro de Imóveis, garantindo assim a sua regularidade e segurança jurídica. A averbação de imóveis é obrigatória, sem ela, multas podem ser aplicadas, seu imóvel não será aceito em financiamentos e o valor de venda é reduzido em até 40%. Tais problemas são permanentes e não podem ser resolvidos de formas alternativas e, caso não sejam solucionados, o imóvel pode ser tomado pelos órgãos governamentais. O procedimento para corrigir essa questão deve ser feito por um profissional da Construção Civil, que identificará todos os casos necessários e protocolará o documento junto a Prefeitura e o Cartório de Registro de Imóveis da cidade. Muitos proprietários de imóveis frequentemente se recusam a pagar taxas e valores de serviço para processos burocráticos, porém, tais ações apenas expõem a construção à potenciais multas e embargos, que certamente trarão mais prejuízos financeiros. Nós da Vimieiro Engenharia podemos te ajudar com a Averbação de seu Imóvel, fornecendo sempre o serviço de maior qualidade e profissionalismo. Caso possua alguma dúvida ou deseja uma estimativa de custos, sem compromissos, clique no link abaixo.

  • Por que eu preciso de um Projeto Estrutural para minha construção?

    Projetos estruturais são documentos técnicos fundamentais no processo de construção de edificações, sejam elas residenciais, comerciais ou industriais. Esses projetos são desenvolvidos por engenheiros civis especializados em estruturas e têm como objetivo determinar os elementos estruturais necessários para garantir a estabilidade, segurança e durabilidade da construção. É um dos projetos que integram a classe de Projetos Complementares, realizado logo após o Projeto Arquitetônico. Outros detalhes pertinentes também são descritos, como tipos de concreto, aço e técnicas a serem empregadas. Afinal, que compõe um projeto estrutural? O Projeto é um guia que descreve todas as etapas construtivas, de modo que garanta os três pilares básicos da Engenharia: Segurança, Qualidade e Economia. Os elementos que o constituem são: Dimensionamento dos elementos estruturais: O projeto especifica as dimensões e propriedades dos elementos estruturais, como pilares, vigas, lajes, fundações, entre outros, levando em consideração as cargas que serão aplicadas sobre a estrutura, como o peso da própria construção, cargas de uso, vento, entre outros fatores. Tipos de materiais: Define-se os materiais que serão utilizados na construção da estrutura, como concreto armado, aço estrutural, madeira laminada, entre outros, de acordo com as características do projeto e as exigências técnicas e normativas. Detalhamento das ligações: Especifica como os diferentes elementos estruturais serão conectados entre si, garantindo a integridade e estabilidade da estrutura como um todo. Considerações de vento: Em regiões sujeitas a ventos fortes, o projeto estrutural deve levar em consideração esses fatores e garantir que a edificação seja capaz de resistir a essas forças naturais. Aspectos normativos e regulatórios: O projeto deve estar em conformidade com as normas técnicas e regulamentos locais, garantindo que a construção atenda aos padrões de segurança e qualidade exigidos pelas autoridades competentes. Um projeto executado da forma correta é seguro, pois foi calculado e detalhado da forma correta. Sendo assim, a estrutura funcionará exatamente como planejada, garantindo a mais alta qualidade e, por fim, como terá uma baixa frequência de retrabalhos e desperdícios, fornecerá mais economia para o projeto. Eles são desenvolvidos por profissionais especializados e devem ser seguidos rigorosamente durante todas as fases da obra para garantir o sucesso do empreendimento. Nós da Vimieiro Engenharia podemos te ajudar, desenvolvendo seu Projeto Estrutural, fornecendo sempre o serviço de maior qualidade e profissionalismo. Caso possua alguma dúvida ou deseja uma estimativa de custos, sem compromissos, clique no link abaixo.

  • Seu imóvel foi multado? Ou recebeu uma notificação de irregularidade?

    Grande parte dos imóveis Brasileiros serão multados nos próximos meses ou anos e a explicação para isso é sempre a mesma: esses imóveis são irregulares por não estarem de acordo as legislações da prefeitura e do município. Depois que construída a tão sonhada casa própria, é normal pensar já estar seguro contra qualquer problema, mas, não é bem assim. A prefeitura atua de forma ativa, utilizando fiscais e drones de precisão para avaliar todas as construções na cidade e, caso sejam encontradas irregularidades, será aplicado uma ou várias multas, de valor muito grande. Não importa o tamanho da construção, valor de mercado, ou há quantos anos foi construída, a multa será aplicada mesmo assim. Quer saber o que é considerado irregular e passível de multa? Todas as alterações realizadas sem aprovação da prefeitura, como a ampliação, demolição ou a construção de novos cômodos, o famoso puxadinho.; A falta de documentos ou quando estes estão desatualizados ou vencidos. Qualquer habitação precisa de documentos, em qualquer etapa que se encontra, o habite-se, alvará de construção, de liberação...; Construção incorreta. Existem diversas regras municipais que todas as residências precisam atender, como altura máxima, recuos laterais e frontais, abertura de janelas, área permeável e outros; Outros motivos específicos ainda podem serem alvos da fiscalização, dependendo da região e do tamanho da cidade. As multas aplicadas são realmente muito caras e elas se acumulam de acordo com a gravidade e a quantidade de irregularidades encontradas, os valores podem ser exorbitantes na ordem de 10 a 30 mil reais em certos casos, mas, não há limite. A regularização do imóvel não é somente comodidade e segurança, é também se livrar de um grande risco financeiro, que nunca sumirá, afinal, o imóvel irregular não é aceito em financiamentos, perde até 40% do valor de venda e também em testamentos e inventários. Nós da Vimieiro Engenharia podemos te ajudar resolvendo as pendências de seu Imóvel, fornecendo sempre o serviço de maior qualidade e profissionalismo. Caso possua alguma dúvida ou deseja uma estimativa de custos, sem compromissos, clique no link abaixo.

  • Por que fazer sondagem em sua obra?

    Um dos assuntos mais discutidos por proprietários de imóveis no início de um projeto é sobre fazer ou não a Sondagem do terreno. O principal fator da discórdia é sempre o preço. Afinal, esse procedimento pode ter um preço elevado, variando em diferentes cidades ou estados. O Laudo de Sondagem, entretanto, é extremamente importante, visto que impacta diretamente a fundação do imóvel a ser construído e ainda vai representar uma economia financeira no futuro. Primeiramente, o que é a Sondagem do terreno? É um procedimento que visa identificar e classificar o solo sobre o qual será construído a edificação. O resultado da Sondagem é um documento conhecido como Laudo de Sondagem, nele é apresentado o tipo de solo, resistência, coloração e a presença ou não de um lençol freático, entre outras informações pertinentes. Essa identificação do solo não é feita somente na parte superior do terreno, mas, também em grandes profundidades, por isso necessita de uma equipe especializada, com equipamentos adequados. Exemplo real de um solo O Laudo de sondagem garante mais informações para uma construção segura e econômica, mas, mesmo assim muitos preferem tentar economizar e não fazer esse procedimento, porém, o resultado pode ser diferente. Afinal, qual o maior problema em não fazer a sondagem? Há alguns anos, um cliente decidiu construir uma casa em um terreno que havia recentemente adquirido. Ao começar o projeto, decidiu que não iria fazer a sondagem do terreno para economizar dinheiro. Então, o Engenheiro responsável pelo projeto estrutural indicou a posição dos pilares para o início da fundação. Como não foi feita a sondagem, o encarregado de executar a fundação supôs que o solo conseguiria suportar 1 kg em cada cm² do terreno. Esse é um valor base que é geralmente empregado em edificações comuns, sem o Laudo de Sondagem. Um dos pilares da casa suportará 30 toneladas de carga e, para ele, foi determinado uma fundação do tipo Sapata Quadrada com 1,75 x 1,75 metros e altura de 55 cm. Como demonstrado na imagem. Para executar essa Sapata, será necessário 1,68 m³ de concreto. A construção teria um total de 15 sapatas e na região em que estava sendo construída, 1 m³ de concreto custava R$ 900. Assim sendo, o orçamento inicial para a fundação dessa residência foi de R$ 22.683,00. Alguns terrenos ao lado, um vizinho também decidiu construir anos depois, porém, ele aceitou fazer a sondagem. Após a contratação dos profissionais adequados, o Laudo de Sondagem elaborado indicou que o solo em questão teria capacidade de suportar 2 kg por cada cm². Nesse caso, os profissionais responsáveis pela fundação puderam fazer o cálculo correto, sem suposições. Imaginando que a construção nesse terreno fosse completamente igual aos do primeiro cliente, uma sapata nesse tipo de solo precisaria ter 1,25 x 1,25 metros de comprimento, com 35 cm de altura. A execução dessa Sapata exigiria 0,547 m³ de concreto, custando os mesmos R$ 900 por m³. O orçamento para toda a fundação dessa edificação no terreno vizinho ficaria R$ 7.383,00. Ainda seria necessário incluir o valor do laudo de sondagem, mas, mesmo que fosse extremamente caro, teria custado algo em torno de R$ 3.000,00, fazendo com que o valor final do orçamento fosse R$ 10.382,00. Então, mesmo tendo de gastar com a sondagem, o segundo vizinho teria uma economia de R$ 12.301 e ainda poderá viver tranquilamente em sua nova residência sabendo que ela é segura e econômica, já o primeiro vizinho, além do fato de ter gastado muito mais dinheiro do que seria necessário, ainda terá que viver na constante dúvida de não saber se o solo embaixo de seus pés realmente possui a resistência que foi suficiente para aguentar sua casa. Após a sondagem, o próximo passo de sua construção é a realização do Projeto estrutural. Possui alguma dúvida, ou gostaria de conversar sobre algo relacionado a sondagem de terreno? Entre em contato!

bottom of page